A cidade - O ESTACIONAMENTO ROTATIVO, FINALMENTE CHEGANDO

Finalmente, depois de idas e  vindas, dúvidas e poucas esperanças, vem aí o estacionamento rotativo. E pelo visto, a demora e a enervante brecha de tempo valeu a pena: o sistema vem com requisitos bem modernos, tais como controle digital de tempo e aquisição de vagas. Não mais pelo tempo único de duas horas máximas por ponto, mas também com o controle do tempo usado. Bom.

A informação é de 30 mil vagas por toda a cidade, das quais menos de 10% (2.500) estarão vinculadas ao sistema, desde a parte norte da cidade até a Rua 2000. Como era antes. Bom porque está insuportável encontrar vagas disponíveis para estacionar. Felizmente cessou aquele debate estéril de questionar o que seria melhor, se com ou sem controle. Há que ter controle, sim. No mundo inteiro é assim e funciona. Tudo dependerá da disciplina do cidadão e da fiscalização.

Alguma organização viveremos, finalmente.

Nesta primeira etapa serão implementadas 1000 vagas entre as ruas 1001 e 1822 nos trechos entre a Avenida Atlântica e as avenidas do Estado e 3ª Avenida, para a fase de testes. A expectativa é de que, no início da temporada de verão, todas as 2500 vagas para carros e 300 vagas para motocicletas já estejam em funcionamento entre a Rua 1001 e a Rua 2000.

Mais moderno: os parquímetros funcionarão por energia solar e as vagas poderão ser adquiridas por aplicativo para celulares. 

A implantação do estacionamento rotativo parece ter sido devidamente entendida pela sociedade. Houve uma mudança importante de mentalidade quanto à sua necessidade. Lá no começo, ainda no governo Leonel Pavan, passando depois pelo governo de Edson Piriquito, as discussões e críticas foram tantas que nas duas ocasiões não funcionou na plenitude. Havia até quem achasse a medida danosa ao comércio por "afastar o cliente". Como se os clientes pudessem escolher as vagas defronte à loja para comprar. Ou defronte ao restaurante para almoçar. Agora já se concluiu - tanto que a medida foi encampada pela CDL - que o sistema é benéfico sob todos os pontos de vista. 

É bom saber que há uma evolução, apesar de só depois de a gente apanhar muito para a realidade.