O isolamento social radical e seus efeitos, no exemplo da Alemanha, que está perto de grave recessão

Esta é uma postagem de um amigo meu, atualmente circulando na Europa e fixado provisoriamente na Alemanha, Marcos Junghans, catarinense de Barra Velha. A publicação não reflete, necessariamente, o que eu pense ou deixe de pensar a respeito do assunto, mas aqui vai só para efeito de debate.

Vejam o que ele escreveu sobre isolamento social radical (ou horizontal) e seus efeitos na Alemanha:

Aos ferrenhos defensores do isolamento social radical aí vai um alerta.

A Alemanha começa a entrar numa recessão bem grave.
Queda de mais de 6% no PIB, fazendo com que pela primeira vez desde 1949 no pós-guerra, esse numero é negativo.
Resumindo: PIB negativo é inflação real com produtos e preços subindo. Coisa que não acontecia há décadas por aqui.

Isso causado pelo isolamento motivado pelo Cov-Sars(Covid 19). E vejam que aqui o isolamento não foi radical e não houve quarentena. Muitas empresas deram ferias coletivas aos funcionários e quando eles voltaram das férias, tiveram redução na jornada e salários pela metade, ou foram demitidos.

Linhas de crédito emergenciais iniciais na ordem de € 750 milhões de euros foram abertas a juros baixíssimos, quase zero, para socorrer pequenas empresas e pessoas fisicas ou juridicas autonomas, com objetivos de re-erguer a economia.

Com isso no horizonte, o governo decidiu pela re-abertura das empresas e lojas mantendo agora a obrigatoriedade de uso de.máscaras e medidas de higiene. Mercados, lojas e empresas em geral oferecem aos funcionarios e clientes máscaras, luvas e álcool-gel ou comum bem como toalhas higienicas descartáveis para limpeza.

A pandemia pode provocar um crise ainda maior do que a doença. Em pouco mais de uma semana o indice de crimes e roubos tem aumentado bastante na Europa.
Segundo informações essa semana aconteceu o primeiro roubo a banco na cidade de Illingen, onde estamos "morando".
A falta de recursos tem feito pessoas sem emprego a tomarem medidas extremas. Estou falando de paises de primeira linha como Alemanha, França, Itália, etc.
Ser radical com isolamento produzirá mais vítimas do que o problema inicial.
Boa sorte a todos e tenham cuidados sem extremismos.

Que saibamos aproveitar a lição, sem radicalismos mórbidos.