Nossa saúde sempre foi ruim; pior agora. Perdemos a noção do que e em quem acreditar

A situação é ruim e confusa, pelas formas de tratamento da pandemia por órgãos ditos "especializados", como a OMS e pela realidade em si. Os entrechoques de teses só pioram tudo, pois se fica sem saber o que é exatamente certo e o que é exatamente errado. É tudo na base do "pode ser", "quem sabe", "talvez". Perdemos a noção do em quem e no que acreditar ou não acreditar. O que é hoje pode não ser amanhã e vice versa.

Porém, uma estranheza me assalta - e acredito que assalta a muitos: nossa estrutura de saúde deveria ter melhorado bem com a quarentena (era a tese, afinal). Pois bem, não melhorou. Aliás, sendo sincero e direto: nossa estrutura de saúde sempre foi muito ruim. E então pergunto: e aquelas pessoas que lotavam emergências e ficavam desesperadas no chão das salas de espera e nos corredores dos hospitais aguardando atendimento, deitados no chão e sobre macas improvisadas? Onde estão?

O suprimento de leitos de emergência e mesmo os leitos normais nunca foi ideal e em vários momentos vimos uma saturação desesperadora, em tempos sem pandemia.

Essas coisas nos conduzem à descrença de muitas pregações e hipóteses ditas "científicas" ou sociais sobre tudo.

Não dá para ser pessimista, pois isso nos levará a um mal maior. Mas ser otimista também está longe de uma cogitação séria.

Desculpem o mau jeito, mas não consigo ficar com isso atravessado sem falar.

Sinto - ou é impressão minha? - que há sempre alguém mentindo em nome da autoridade e em detrimento do povo.

E já nem falo da roubalheira descarada em nome da pandemia em muitos estados. Vergonha.