De máscaras, de cuidados necessários e de multas por desobediência

Portugal em restrições parciais contra coronavírus, após o crescimento de casos em algumas áreas.
São 19 localidades em novo estado de calamidade. Mas não é lockdown, ficou decidido que tudo fecha às 20h e reuniões somente até 5 pessoas, fora as medidas que acontecem em todo lado: uso obrigatório de máscara, distanciamento, proibido bebida alcoólica em via pública e as bombas de gasolina não podem mais vender álcool.
Aqui você não entra em transportes ou em qualquer estabelecimento sem a máscara. NA RUA, AO AR LIVRE, NÃO É OBRIGATÓRIO O USO.  Mas, por norma, a maioria absoluta usa a máscara por todo lado.
Para as outras decisões como álcool e aglomeros, as multas serão de 50 a 500 euros, depende de cada caso.
Pagamento na hora, sem choro. Igual com multa de trânsito: os guardas têm máquina de cartão e tudo.
Eles sugerem que as pessoas fiquem em casa e só saiam em extrema necessidade, chamam de dever cívico.

(Informações de minha filha Déia Machado Sousa, diretamente de Portugal, onde reside há cinco anos, região de Cascais - São Domingos de Rana, na Grande Lisboa)

Obs: o grifo do texto é meu.

Perceberam a diferença fundamental de país organizado, governos sem sanha punitiva pura e simples e povo civicamente preparado?