Dão remédios aos pacientes internados por Covid? Que remédios?

Muito interessante a decisão dos municípios da Amfri de unificar ações contra a Covid-19, evitando dispersão de esforços e medidas contraditórias e conflitantes entre as cidades.

Por isso, o prefeito Fabrício Oliveira remeteu à Câmara projeto de lei, em tramitação, pedindo autorização para ampliar o arrimo financeiro à entidade com esta finalidade, em caráter de urgência.

O Projeto de Lei, acrescenta dispositivo na Lei Municipal nº 2.489, de 29 de setembro de 2005, a qual “ratifica Protocolo de Intenções e autoriza o Chefe do Executivo Municipal a firmar Convênio com o Consórcio Intermunicipal de Saúde da Região da Foz do Rio Itajaí, CIS – AMFRI"

Num dos trechos principais da justificativa, diz o prefeito:

"A urgência se dá no grande número de testagem efetuados atualmente no Centro Municipal de Controle do COVID-19, sendo extremamente necessário em virtude da rápida propagação da doença, sendo que a ampliação de testes tem como principal objetivo iniciar rapidamente o tratamento adequado conforme avaliação médica, além de isolar o paciente o quanto antes e evitar a contaminação de outras pessoas."

Ao tempo em que se enaltece a providências, estranha-se: o que vem a ser exatamente o "tratamento adequado"? Dão remédios ao paciente? Que remédios? Nada demais, só uma curiosidade cá da casa.