Hospital Santa Inês: sintomas de demagogia e falsa expectativa

O deputado Ivan Naatz tá envolvido na campanha de reabertura do hospital Santa Inês - e nem é representante da cidade ou da região; outros políticos também, como o vereador Marcelo Achutti.

Acho ótima a possibilidade de reabrir o Santa Inês. Mais um recurso de saúde da cidade (e região, por supuesto). Só uma dúvida teimosa: por conta de quem? Ou qual tipo de gestão? Municipal? Particular? Estadual? Consorciada? Sinto muito dizer: não criem mais um mote romântico e inútil; não criem mais uma esperança que não se realizará. Resumidamente: não decepcionem mais ainda a população, fazendo-a crer que se cria uma solução e, quando se vê, se cria um elefante branco. Sinto muito, como falei, mas demagogia não faz o meu tipo. Adoraria ser desmentido, sinceramente - e costumo reconhecer meus erros. Até lá, fico na minha. Dinheiro não cai do céu e nem nasce em árvore.

O erro está lá atrás, além de 11 anos e já não é mais possível equacionar: justamente a construção do Ruth e, subsequentemente, a sua abertura com porta aberta, imaginando-se (olha o exemplo), que Estado e municípios vizinhos aportariam recursos, além dos normais de AIHs obrigatórias por atendimentos (aliás, insuficientes desde o início pelo volume de internações de cidades vizinhas).