A pandemia não está nem aí para o que chamam de evidência científica

Dar autonomias separadas com igual poder a municípios e estados foi um erro. Agora temos que assistir a briga por autorizar ou não, fechar ou abrir, usar ou não usar. Ainda por cima há decisões judiciais contra uns e outros, independente de "ciência" ou da famigerada "evidência científica". Na base da orelhada.

A pandemia não está nem aí para o que chamam de "evidência científica". Tá dando de relho.

Neste momento, o TCE manda Itajaí parar de distribuir Ivermectina à população contra Covid por "falta de evidência científica". Ora, evidência científica pode ser qualquer coisa ou nada. Porque até aqui, nenhuma "evidência científica" de que tanto falam resolveu coisíssima nenhuma, a começar pelo lockdown. A pandemia só cresce.

Muito cinismo impera por essas bandas. E tem quem aplauda e apoie irrestritamente.

Pois ninguém acertou quanto à tal "curva" ou pico de infectação. Seria em março, depois em abril, depois em maio, depois em junho, em julho e estão até falando em setembro, sem muita convicção. E convicção não parece ser um apanágio dos pregadores das incertezas.

Só sabem repetir a ladainha: fique em casa, use máscara, aplique álcool em gel, lave as mãos constantemente, evite aglomerações, mantenha distanciamento social. Como únicos remédios. É mais cômodo e, caso não surta o efeito desejado - como não está surtindo - culpe-se a eventual rebeldia popular, como se ninguém estivesse respeitando. Assim é fácil lavar as mãos de culpa e responsabilidade.

Enquanto isso, a carência de leitos, medicamentos, equipamentos, equipes e UTI assombra, como se não tivesse havido tempo e dinheiro para suprir essa demanda (lembrando que o confinamento, lá no começo de março, era exatamente para dar tempo disso e comeram mosca).

Muito cinismo impera por essas bandas. E tem quem aplauda e apoie irrestritamente.

A pandemia não está nem aí para o que chamam de "evidência científica". Tá dando de relho.